quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Queremos tocar a hóstia.




Nós agentes da pastoral litúrgica precisamos intervir imediatamente no processo de construção da fé. As pessoas não podem pensar que são católicas, elas precisam ser. Para tanto é necessário conhecer a fé. Não se abraça uma fé que não se conhece.


Precisamos promover uma profunda catequese sobre a Eucaristia. Surgiu em nosso meio um verdadeiro "fetiche" por tocar a hóstia consagrada (geralmente colocada em um belo Ostensório), nada contra a prática da adoração, mas o que vale mais? Sacrifício ou vítima?


Hóstia significa vítima, o que faz com que a vítima signifique alguma coisa é o sacrifício para o qual ela está destinada. Se podemos tomar parte do sacrifício perfeito de Jesus Cristo, realizado (perenemente) no Sacramento dos Sacramentos, então porque depois temos que ficar em busca de tocar a hóstia como se fosse algo mágico?


O milagre que esperamos vai acontecer quando entendermos a vontade de Deus. Quando aprendermos a conformar a nossa vida a vida de Jesus Cristo. Garanto seremos melhores Católicos se compreendermos a Igreja.


A adoração Eucarística tem o seu lugar e a sua importância. Mas definitivamente não é a a Santa Missa que significa muito mais que qualquer devoção, pois nela (como sacramento) se realiza (não se representa) em sua totalidade o Mistério de Cristo.


Lucas Neto
(Publicado originalmente no facebook)

Nenhum comentário:

Postar um comentário